quarta-feira, outubro 19, 2005

 

Liturgia na Era Apostólica

A Liturgia é sempre um momento orante de uma comunidade - não é um acto privado. É a celebração do mistério de Cristo por uma comunidade e hierarquicamente presidida.
Mesmo que estejamos a rezar sozinhos - no caso da Liturgia das Horas (Laudes, Vésperas...) - não é um acto particular, porque estamos a rezar com toda a igreja.

Liturgia na era apostólica e nos seis primeiros séculos:

A liturgia era a grande fonte de espiritualidade da Igreja. Para os cristãos dos primeiros séculos, a grande manifestação da sua vida orante e da sua expressão do Evangelho era buscada, alimentada na liturgia - principalmente a Eucaristia.

Para os primeiros cristãos a liturgia é uma fonte de santificação. Cada sacramento celebrado era mesmo vivido como acção de Cristo em nós. Acções que nos dão a força redentora da cruz de Cristo.

Há alguns elementos tipicamente novos no Cristianismo, que se vão separar da noção hebraica de culto.

*Templo - Todas as religiões têm um templo. É o lugar de reunião de crentes e lugar de encontro, presença de Deus. Local de súplica. A noção de templo muda completamente. A partir de Cristo o verdadeiro templo já não é o espaço físico mas o corpo de Cristo, o Seu corpo Místico, glorioso. Há uma espiritualização da noção de templo - Cristo é a cabeça e nós os membros, pelo baptismo.

*Sacrifício - Sacrificavam-se animais, produtos da terra, ou seja, imolação. Sacrifício de algo exterior a mim. Podia ser meu, mas não era eu.
Com Jesus Cristo acontece o oposto. Jesus não oferece nada em Seu nome, oferece-Se a Si próprio na cruz. Muda a noção de sacrifício. Para o cristão, o sacrifício é só um, o verdadeiro, o de Cristo - para redenção do mundo.
Todos os nossos sacrifícios são-no na medida em que estão unidos ao de Cristo. A Igreja não tem outra coisa para oferecer a Deus senão o sacrifício redentor do seu Filho, o único e eterno sacrifício, aquele que agradou a Deus-Pai.

*Altar – Todas as religiões têm o altar do sacrifício. Para os cristãos, já não é o altar de pedra, não o de sacrifício cruento dos animais e produtos da terra, o altar é a Cruz do Senhor. É o coração de cada crente. O lugar onde cada um se oferece ao Pai, unido a Cristo.
A própria celebração da Eucaristia surgiu no contexto da refeição – o Altar é a mesa da Ceia.

Por isto é que nos primeiros tempos os cristãos eram chamados de ateus – não tinham altar, nem templo, nem sacrifício!

A Igreja nascente tem assim uma consciência muito íntima que a sua liturgia é a celebração do mistério pascal de Cristo.

Comments:
Grande Daurte!
Obrigado por esta partilha, muito bom mesmo. "Queremos mais , queremos mais,queremos mais, queremos muitooooo mais!" =)
Que bom foi ter estado contigo em Fatima! Ate breve. Grande abraço senzaaaa!
 
Grande site, e grande grande primo! Gosto muito de tudo o que você escreve!! Muitos beijinhos querido.
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?